Inteligência artificial

O que é Inteligência Artificial?

Tempo estimado de leitura: 11 minutos

Com certeza você já ouviu falar sobre Inteligência Artificial (IA), mas será que você sabe mesmo do que se trata? 

O termo, que parece saído de um filme de ficção científica, na verdade, faz referência à área da ciência da computação que estuda e desenvolve sistemas capazes de realizar tarefas que, normalmente, exigiriam inteligência humana

Entre elas, estão o reconhecimento de padrões, o aprendizado a partir de dados, a tomada de decisões, a resolução de problemas e a interação com a linguagem natural.

A Inteligência Artificial já está presente no nosso dia a dia. Porém, muitas vezes, não percebemos. Você sabia que o Instagram usa um sistema de IA para mostrar as postagens que mais te interessam, através do algoritmo? Ou que a Netflix usa IA para recomendar filmes e séries que combinam com o seu gosto?

Estes são apenas alguns exemplos de como a IA está mudando a nossa forma de pensar e nos relacionar com o mundo. Mas como ela funciona, o que ela é capaz de fazer, quais são os tipos mais usados, quais são as soluções mais populares no mundo e como a IA se integra com a programação no-code?

Se você quer saber mais sobre o assunto e entender como a IA pode ser uma aliada para o seu sucesso como desenvolvedor de aplicativos, continue lendo este conteúdo!

O que é Inteligência Artificial?

Robô apontando o cérebro

Imagine um mundo onde máquinas podem pensar, aprender e se comunicar como seres humanos. E se eu te disser que este mundo já existe? 

Sim, graças à Inteligência Artificial. Apesar de envolver, principalmente, a ciência da computação, a IA é uma área multidisciplinar que engloba estudos da:

  • Matemática;
  • Estatística;
  • Engenharia;
  • Psicologia;
  • Filosofia. 

Tudo começou quando os matemáticos e filósofos se questionaram sobre a possibilidade de criar máquinas que pudessem pensar e agir como seres humanos.

Em 1950, Alan Turing publicou um artigo em que propôs o conceito de uma máquina universal capaz de executar qualquer cálculo descrito por um algoritmo. 

Inclusive, foi o responsável por desenvolver o Teste de Turing, que consiste em verificar se uma máquina pode se passar por um humano em uma conversa. 

Hoje em dia, o método ainda é usado como um critério para avaliar a capacidade de alguns sistemas de Inteligência Artificial, especialmente, os que envolvem processamento de linguagem natural, como os chatbots. 

Desde então, a IA vem evoluindo e se diversificando, em diferentes conceitos e técnicas que permitem que os sistemas realizem tarefas cada vez mais complexas e variadas.

Como a Inteligência Artificial funciona?

A Inteligência Artificial funciona por meio de algoritmos, que são conjuntos de regras e instruções que definem como um sistema deve executar uma determinada tarefa. 

Mas como é isto, na prática? Para explicar, vamos usar o exemplo das redes sociais.

Provavelmente, você já ouviu falar sobre algoritmos de redes sociais. Eles constituem um sistema automatizado de coleta de dados que utiliza Inteligência Artificial. Ao unir os dois processos, é possível estabelecer a ordem de posicionamento dos posts que aparecem no feed do usuário.

Os algoritmos de IA podem ser baseados em:

  • Lógica;
  • Busca;
  • Otimização;
  • Aprendizado;
  • Raciocínio;
  • Planejamento;
  • Representação de conhecimento.

O que a Inteligência Artificial é capaz de fazer?

A Inteligência Artificial é capaz de realizar diversas tarefas que antes eram exclusivas dos humanos ou que exigiam muito tempo, custo e esforço. Entre elas:

  • Reconhecimento por voz;
  • Visão computacional;
  • Análise de dados;
  • Entretenimento;
  • Elaboração de um planejamento completo;
  • Trabalho com robótica;
  • Atuação na área da saúde;
  • Atuação com artes, comunicação e criatividade;
  • Automação de processos;
  • Pesquisa científica;
  • Criação de processos inovadores.

Tipos de Inteligência Artificial

Existem diferentes formas de classificar os tipos de Inteligência Artificial, de acordo com o  nível de complexidade, a abrangência e a autonomia. Uma das formas mais comuns considera os seguintes critérios:

Fraca ou limitada

A Inteligência Artificial fraca ou limitada é aquela capaz de realizar apenas uma tarefa específica, dentro de um domínio restrito, seguindo regras pré-definidas. 

Na prática, ela não entende o que está fazendo, nem pode fazer outras coisas além do que foi programada. Boa parte das IAs que usamos hoje é desse tipo, como:

  • Os sistemas de reconhecimento de voz que transformam o que falamos em texto ou comando, como Siri, Alexa e Google Assistente;
  • Os sistemas de visão computacional que reconhecem objetos, rostos e cenas em imagens e vídeos, como Face ID, Google Fotos e TikTok;
  • Os sistemas de análise de dados que extraem informações e padrões de grandes conjuntos de dados, como Excel, Power BI e Tableau. 

Geral

Por outro lado, a Inteligência Artificial geral é aquela que é capaz de realizar qualquer tarefa que um humano possa fazer, em qualquer domínio, com autonomia, flexibilidade e adaptabilidade. 

Esse tipo de IA entende o que está fazendo e pode até aprender e criar novas soluções.

Isso porque tem consciência, compreensão, generalização e criatividade.

No entanto, ela ainda não existe. Apesar disso, é o objetivo de muitos pesquisadores e projetos, como o OpenAI, o DeepMind e o SingularityNET.

Super

A Inteligência Artificial super é bem polêmica e, talvez, você já tenha visto alguns alertas sobre ela em tom de urgência. 

Esse tipo de IA pode superar os humanos em tudo, em qualquer área, com velocidade, precisão e eficiência. Ela tem consciência, compreensão, generalização, criatividade e autoaperfeiçoamento.

É aquela IA dos filmes de ficção científica que tanto tememos na infância e adolescência. Ainda não existe, mas é o medo de muitos especialistas e filósofos, como Stephen Hawking, Elon Musk e Nick Bostrom.

Machine Learning

É uma técnica de Inteligência Artificial que permite os sistemas aprenderem com os dados, sem a necessidade de programação explícita. Pode ser dividida em três categorias principais:

  • Aprendizado supervisionado: quando os sistemas aprendem a partir de dados rotulados, ou seja, que já têm a resposta certa. Exemplo: um sistema que aprende a reconhecer gatos e cachorros em fotos a partir de um conjunto de imagens desses animais;
  • Aprendizado não supervisionado: quando os sistemas aprendem a partir de dados não rotulados, ou seja, que não têm resposta certa. Exemplo: um sistema que aprende a agrupar clientes em perfis a partir de um conjunto de dados que não tem nenhuma informação sobre eles;
  • Aprendizado por reforço: quando os sistemas aprendem a partir da sua própria experiência, ou seja, da interação com o ambiente. Exemplo: um sistema que aprende a jogar xadrez a partir de um conjunto de regras e do feedback de ganhar ou perder.

Processamento de linguagem natural

Por fim, chegamos ao processamento de linguagem natural, uma técnica que permite que os sistemas compreendam, gerem e manipulem textos e falem em linguagem humana

É usada em vários aplicativos, como:

  • Os sistemas de recomendação, que são sistemas que podem sugerir produtos, serviços ou conteúdos, baseados nas preferências e no comportamento do usuário, como Netflix, Spotify e Amazon;
  • Os sistemas de chat, que são sistemas que podem conversar com o usuário ou com outros sistemas, usando texto ou voz, como WhatsApp, Telegram e Discord.
  • Os sistemas de ensino, que são sistemas que podem ensinar ou aprender com o usuário, usando texto ou voz, como Duolingo, Khan Academy e Coursera.

Quais são as 10 IAs mais usadas no mundo?

Como você pode ver, a Inteligência Artificial está cada vez mais presente no nosso dia a
dia. Há diversas soluções que se destacam pela popularidade, funcionalidade e inovação.

Estudo da WriterBuddy, uma plataforma de escrita assistida por IA, ranqueou as dez soluções mais usadas no mundo, de acordo com o tráfego estimado em 2023. Confira:

  1. ChatGPT (14, 6 bilhões de acessos)
  2. Character.ai (3,8 bilhões)
  3. QuillBot (1,1 bilhão)
  4. MidJourney (500,4 milhões)
  5. HuggingFace (316,6 milhões)
  6. Bard (242,6 milhões)
  7. NovelAI (238,7 milhões)
  8. CapCut (203,8 milhões)
  9. JanitorAI (192,4 milhões)
  10. CivitAI (177,2 milhões)

Integração da IA com a programação no-code

A programação no-code é uma forma de desenvolver softwares sem a necessidade de saber programar. Nela, usamos apenas ferramentas visuais, como blocos, e os comandos de arrastar e soltar. 

O no-code permite que pessoas sem conhecimento técnico possam criar aplicativos, sites, sistemas e soluções, de forma rápida, fácil e barata

A Inteligência Artificial se integra com a programação sem código oferecendo funcionalidades, recursos e benefícios que aumentam a qualidade, a eficiência e a inovação dos projetos

As principais vantagens desta combinação são:

Geração de design automatizado

A geração de design automatizado é uma tecnologia que cria interfaces gráficas e layouts, cores, fontes e outros recursos de forma automática, a partir de dados pré-estabelecidos. Ela é utilizada por ferramentas como o Webflow e Wix. 

Mais agilidade é igual a mais produtividade 

Com a agilidade que a Inteligência Artificial traz, é possível reduzir o tempo e custo de produção de sistemas no-code.

A IA contribui para a agilidade, pois permite que o sistema aprenda com os dados, seja aperfeiçoado com o feedback, atualizado com as tendências e personalizado com as preferências.

Maior eficiência

A eficiência é um fator fundamental para o sucesso de qualquer projeto, pois garante a satisfação, a confiança e a fidelidade do cliente e do usuário

A Inteligência Artificial aumenta a eficiência ao auxiliar que o sistema otimize os processos, corrija os problemas, previna os riscos e melhore os resultados.

Criação rápida de protótipos

Quem já trabalha com desenvolvimento de softwares sabe que a criação de protótipos é uma etapa indispensável e corriqueira.

A Inteligência Artificial facilita a criação rápida de protótipos, pois é capaz de gerar o código, o design, a interface e a funcionalidade de forma automática.

Documentação automatizada

Além disso, com a IA é possível ter toda a documentação automatizada por meio de um sistema que processa, analisa e sintetiza textos, em qualquer idioma. 

Isso pode ser feito usando técnicas de processamento de linguagem natural, análise semântica, tradução automática e geração de texto.

Vantagem competitiva

Já parou para pensar que a Inteligência Artificial pode ser o empurrãozinho que faltava para você conseguir se diferenciar no mercado? Com ela é possível criar soluções novas e melhores, que sejam mais inteligentes, personalizadas, interativas e criativas.

Economia

A Inteligência Artificial também gera economia, pois permite reduzir custos com infraestrutura, manutenção e operação, uma vez que reduz falhas e agiliza processos.

Melhorias constantes

A IA contribui para o aprimoramento contínuo, pois incorpora novas funcionalidades, recursos e benefícios que aumentam a qualidade, a eficiência e a inovação do produto. 

Como ela pode fazer isso? Através de sistemas de dados, feedback e tendências do mercado. 

Vire um desenvolvedor no-code agora mesmo!

Agora que você já sabe tudo sobre Inteligência Artificial e como ela pode ajudar no trabalho de desenvolvimento no-code, fica ainda mais fácil imaginar uma carreira nesta área. 

Quer saber por onde começar? Aprenda a desenvolver apps com curso gratuito de Bubble da No-Code Start-Up e comece sua jornada de desenvolvedor hoje mesmo. 

Mais Artigos Blog No-Code Start-Up:

plugins premium WordPress
pt_BRPT